Cursos USP - Metodologia da Economia

Cursos Livres
Para Todos

Cursos USP - Metodologia da Economia

Sobre o curso

Objetivo:

O objetivo central da disciplina é discutir os fundamentos da ciência econômica do ponto de vista da epistemologia e da metodologia que a sustentam. Embora esse tipo de reflexão não seja novo na história das idéias econômicas, sua visibilidade cresceu no último quartel do século XX, com a ruptura do “consenso keynesiano”. Esta disciplina visa a fornecer a alunos que já cursaram as disciplinas introdutórias de economia um referencial básico para o entendimento e a avaliação de teorias, na perspectiva do pluralismo crítico.  O estímulo ao pensamento crítico é uma meta central da disciplina, da mesma forma que o respeito ao diálogo e à convivência de diferentes vertentes teóricas e metodológicas.


Programa:

Fundamentos da Metodologia Científica
• As credenciais da ciência. O problema da indução e o empírico como critério de cientificidade.
• A ciência normal e seus paradigmas. Crises e revoluções científicas.
• Programas de pesquisa, princípios de tenacidade e proliferação de teorias.

Escopo e Método da Economia Clássica e Neoclássica
• A escola clássica e a opção pelo método hipotético-dedutivo.
• A escola histórica alemã e o debate de métodos.
• A economia como ciência da escassez.
• Realismo dos pressupostos e instrumentalismo.
• Reconstituição sumária do caminho metodológico da Economia.

Temas do Debate Atual
• Avaliação de teorias e pluralismo crítico.
• Retórica, pós-modernismo e pluralismo.
• Matematização e formalização da economia.
• A sociologia do conhecimento científico.
• A complexa relação da teoria com os dados empíricos
• Ortodoxia, heterodoxia e mainstream: qual o futuro da economia?
• Escolha e racionalidade econômica.
 

Docente

Ana Maria Bianchi

Ana Maria Bianchi

Bibliografia

• Angner, E. e G. Loewenstein, G. “Behavioral Economics”, in U. Maki (ed), Philosophy of Economics, vol. 13, 2008.
• Araújo, R. F. e A. M. Bianchi, “Diferencias teóricas entre las retóricas de Perelman e McCloskey”. Energeia – International Journal of Philosophy and Methodology of Economics, vol. IV, n. 1-2, pp. 1-84, 2005.
• Bianchi,  Ana Maria. “Reflexões sobre o passado e especulações sobre o futuro da metodologia econômica”. EconomiA, vol. 11, nº 4, dez 2010.
• Biderman, Ciro e outros. Retórica na economia. São Paulo: Editora 34, 1996 (principalmente os artigos de Persio Arida, D. McCloskey e Leda Paulani)
• Boumans, M. e John B. Davis, Economic Methodology – Understanding economics as a science. Palgrave-MacMillan, 2010.
• Fong, C. M., S. Bowles e H. Gintis, “Reciprocity and the welfare state” , in: H. Gintis e outros (eds.), Moral Sentiments and Material Interests, MIT Press, 2005.
• Bresser-Pereira, L. C.. “Os dois métodos e o núcleo duro da Economia”. Revista de Economia Política, 29 (2): 163-190, 2009.
• Colander, D. R. P. F. Holt e Rosser, Jr., Barkley, “The changing face of mainstream economics”. Review of Political Economy vol. 16, nº 4, out 2004.
• Davis, John, “The turn in recent economics and return of orthodoxy”, 2008, http://ssrn.com.abstract/=1004064.
• Davis, John e W. Hands (orgs.), The Edward Elgar Companion to Recent Economic Methodology. Edward Elgar, 2011.
• Dequech, David. “Neoclassical, mainstream, orthodox, and heterodox economics”, Journal of Post Keynesian Economics, 30(2): 279-302, 2007.
• Friedman, Milton. "Ensaios de economia positiva". Edições Multiplic, ano 1, nº 3, fev 1981.
• Goldfarb, Robert S, 1997. "Now You See It, Now You Don't: Emerging Contrary Results in Economics," Journal of Economic Methodology, vol. 4(2), dec.
• Heukelom, Floris, 2011. Behavioral economics. In: Davis e Hands, 2011.
• Krugman, Paul. “Two cheers for formalism”, The Economic Journal 108, pp. 1829-36, nov 1998.
• Kuhn, Thomas. A estrutura das revoluções científicas. 2ª ed. São Paulo: Perspectiva, caps. 2-4 e posfácio, 1978.
• Lákatos, Imre. “O falseamento e a metodologia dos programas de pesquisa científica”, in: I. Lakatos e A. Musgrave (eds), A crítica e o desenvolvimento do conhecimento, Cambridge University Press, 1971.
• Mattos, Laura V. “A economia política como uma ciência autônoma:”, Revista de Economia Política vol. 19, nº 4, out-dez 1999.
• McCloskey, D. N.. The Rhetoric of Economics. The University of Wisconsin Press, 1985.
• Mill, John Stuart.  Essays on  some Unsettled Questions of Political Economy. Londres: London School of Economics, 1968.
• Muramatsu, Roberta. Rhetoric and methodology of behavioral economics: the case of intertemporal choice. EconomiA, jan-abr 2009.
• Neville Keynes, John. The scope and method of political economy. N. York: Kelley & Millman, cap 1, 1917.
• Popper, Karl. A lógica da investigação científica. São Paulo: Abril Cultural, Coleção “Os Pensadores”, 1980. (também pela Editora Cultrix)
• Robbins, Lionel C. An essay on the nature and significance of economic science. MacMillan, 1932, cap. 1.
• Sen, Amartya. “Rational fools: a critique of the behavioral foundations of economic theory”. Philosophy and Public Affairs nº 6, pp. 317-44, 1977.
• Sugden, Robert. “Credible worlds: the status of theoretical models in economics”, Journal of Economic Methodology, vol. 7, nº 1, pp. 1-31, 2000.
• Thaler, R. H. e Sunstein, C.. Nudge. Improving decisions about health, wealth and happiness. Penguin Books, 2008.

O cmais+ é o portal de conteúdo da Cultura e reúne os canais TV Cultura, UnivespTV, MultiCultura, TV Rá-Tim-Bum! e as rádios Cultura Brasil e Cultura FM.

Visite o cmais+ e navegue por nossos conteúdos.

Comentários

Compartilhar


Primeira Aula

Assistir >

Lista de Aulas

  • Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia
  • FAPESP
  • UNICAMP
  • UNESP
  • USP
  • FUNDAP
  • Centro Paula Souza